São Caetano  receberá 35 delegações dos Jogos Abertos do Interior, primeiro realizado em sede conjunta

 

Os Jogos Abertos do Interior (JAI), mais conhecido como a Olimpíada Caipira, maior competição entre municípios da América Latina, acontecerão pela primeira vez na história em sede conjunta, sendo realizado concomitantemente em São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo, Santo André, Mauá e Ribeirão Pires, entre os dias 15 e 26 de novembro.  

O JAI está em sua 81ª edição e, numa parceria inédita com o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, todas as cidades irão hospedar delegações, além de receber competições. São Caetano do Sul, por exemplo, receberá competidores de 35 cidades, em oito escolas, todas estaduais, já que o JAI é competição estadual.  

Destas sete escolas que servirão de alojamentos, seis receberão delegações fixas e duas serão coletivas. As seis delegações fixas são de Araraquara, Assis, Botucatu, Rio Claro, São Carlos e Tanabi. 

“Mesmo a organização ficando por conta do Consórcio Intermunicipal, a Prefeitura de São Caetano do Sul já acionou as secretarias de Saúde (Sesaud), Mobilidade Urbana (Semob), Serviços Urbanos (Sesurb), Esporte, Lazer e Juventude (SELJ), a GCM (Guarda Civil Municipal) e a Defesa Civil para estarmos engajados e atentos para que saia tudo a contento durante a realização dos jogos”, explicou Marcos Siarvi, coordenador das equipes de alto rendimento de São Caetano do Sul. 

COMPETIÇÕES

Campeã por 16 vezes nos Jogos Abertos do Interior, São Caetano do Sul vive momento de reformulação, dando maior relevância às categorias de base e criação de novos talentos esportivos. 

Com 250 atletas, que competirão em 19 das 38 modalidades, a delegação de São Caetano do Sul chega com favoritismo em alguns esportes. “No Esporte é sempre complicado falar em ‘vamos ganhar’. Mas é claro que existe o favoritismo e poderia dizer que temos como expectativa de chegarmos nas finais e, quem sabe, até conquistarmos o título em Ginástica Rítmica, Capoeira, Taekwondo, Vôlei Feminino e Futsal”, comentou Siarvi.

A expectativa, no entanto,  é de estar entre as cinco melhores colocações, como explica o secretário de Esporte, Lazer e Juventude e vice-prefeito, Beto Vidoski. “Desde a mudança no regulamento dos Jogos (JAI), em que os municípios têm de comprovar vínculos com a cidade, muitos municípios optaram por uma política mais a médio e longo prazos, fazendo atletas em casa. Mesmo assim, acredito que São Caetano do Sul esteja numa boa colocação no final da competição”, concluiu Vidoski.

 Capacitação de servidores públicos em gestão de contratos

 

Com o objetivo de estimular a eficiência e a transparência na administração, a Prefeitura de São Caetano do Sul promoveu o curso ‘Gestão e Fiscalização de Contratos Administrativos’ a mais de 150 servidores públicos, desde assessores diretos a secretários. O curso foi realizado em cinco módulos, no anfiteatro da USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul), do final de agosto até esta terça-feira (07/11).

 

Os módulos foram Planejamento de Contratações, Licitações Públicos, Contratos Administrativos e Gestão Contratual. Nesta terça-feira, o módulo foi um estudo de casos, com perguntas e respostas, todas relacionadas ao conteúdo do curso e participação direta dos servidores públicos.

 

Para Marcelo Palaveri, advogado especializado em Direito Público e Direito Administrativo e professor do curso, o curso teve como principal objetivo a melhoria do controle do dinheiro público. “A proposta é que cada um, dentro da sua área específica, esteja mais familiarizado com legislações e que erros, que pareciam comuns, não sejam mais cometidos no dia a dia”, explicou.

O servidor público Antonio Carlos Adolfo, 60 anos, está há 42 anos na Prefeitura de São Caetano do Sul e atualmente trabalha no setor financeiro da Seeduc (Secretaria de Educação). “Praticamente 80% do nosso trabalho tem a ver com o que foi enfocado durante o curso. Aliás, tenho convicção de que o curso veio preencher um espaço que faltava a nós, servidores públicos, que era de um contato maior com informações pertinentes ao nosso cotidiano de trabalho”, disse o servidor.


 

Brasil terá de investir R$ 316 bilhões para cumprir acordo da COP 21

                Estudo da CNI destaca que compromisso do país para reduzir emissões de gases de efeito estufa se baseou em projeções econômicas defasadas e em metas desfavoráveis à produção hidrelétrica, que acarretarão em alta do custo da energia

                O custo para o país se adequar ao compromisso assumido durante a 21ª Conferência das Partes sobre Mudanças Climáticas (COP-21), em 2015, em Paris, será de R$ 316 bilhões até 2030 só em iniciativas do setor elétrico. O valor, que deve ser investido em geração e distribuição de energia, é R$ 15 bilhões superior ao previsto pelo Plano Nacional de Energia (PNE).  O cálculo está no estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI) Implicações da COP 21 para o Setor Elétrico.

O acordo de Paris estabelece que o Brasil terá de reduzir em 43% as emissões de gases de efeito estufa até 2030. Para isso, entre outras medidas, o país terá de aumentar em 23% a geração de energia renovável. No entanto, o compromisso firmado não considera as hidrelétricas como uma fonte renovável. Com isso, os investimentos do Brasil em fontes como eólica, solar e biomassa deverão ser R$ 15 bilhões maiores do que os R$ 301 bilhões previstos pelo PNE até 2030. Esse valor equivale por exemplo ao arrecadado nos sete últimos leilões de energia hidrelétrica nova (2.800MW).

Segundo o estudo, a diferença entre o Plano Nacional de Energia e as reais necessidades do país para cumprir o Acordo do Clima no setor elétrico é resultado das mudanças que terão de ser feitas nos investimentos. Isso porque o PNE projeta aumento da oferta de energia vinda de fontes convencionais como a térmica e a hidrelétrica, enquanto que o Acordo da COP 21 desconsidera a hidrelétrica como energia renovável e requer mais investimentos em fontes alternativas, como eólica e solar. “A distinção entre renováveis hídricas e não hídricas do acordo contraria um posicionamento histórico do Brasil em defesa da hidroeletricidade e contra a tentativa de caracterizá-la como fonte não renovável”, destaca o estudo da CNI.

A indústria considera que a energia hidrelétrica é renovável porque é produzida com base nos movimentos da água, utilizando o potencial hidráulico de um rio, que é restabelecido naturalmente. Além disso, a energia hidrelétrica é a que possui a maior fator de conversão energética, acima de 60%.

CRESCIMENTO ECONÔMICO – O Acordo de Paris desconsiderou nas metas a crise econômica enfrentada pelo Brasil. As metas de redução das emissões consideravam que a economia brasileira cresceria, em média, 4,4% ao ano até 2030, o que não se confirmou ao longo de todo o período. Conforme o estudo da CNI, mesmo em um cenário para lá de otimista em relação ao crescimento econômico, a meta assumida pelo Brasil ficará defasada até 2030. “Como ilustração, se for admitido crescimento de 1% para 2017 e que 2018 e 2019 terão crescimentos respectivos de 2,5% e 5%, seria necessário crescer 6% ao ano entre 2020 e 2030 para que a premissa de crescimento econômico da COP 21 fosse válida”, detalha o estudo.

Além de estabelecer o aumento da produção de energia renovável em 23%, o compromisso do Brasil prevê a ampliação em 10% da eficiência no setor elétrico. Na avaliação do especialista em energia elétrica da CNI Roberto Wagner Pereira, os compromissos assumidos pelo Brasil para o setor elétrico precisam ser discutidos dentro de um ambiente mais técnico. Ele alerta para a estimativa de alta em torno de 10% do custo da energia no cenário de incremento apenas de fontes renováveis não hídricas. Para o especialista, o Brasil deve investir na geração hidrelétrica, que dá mais segurança ao abastecimento, e em eficiência energética.

O trabalho da CNI destaca ainda que outros desafios devem ser levados em conta no setor elétrico, em particular a incerteza sobre a disponibilidade de energia. Para a CNI, a realidade pós-2030 depende muito dos compromissos assumidas pelo Brasil no Acordo do Clima. Caso o Brasil reduza os investimentos em hidrelétricas, será necessário ampliar a disponibilidade de gás natural, carvão e óleo para controlar as variações características das fontes renováveis, alerta o estudo.

 

Leilão da Caixa Econômica Federal tem imóveis com mais de 50% de desconto

São mais de 100 itens disponíveis para arremate

Encerra nesse final de semana, a penúltima data do leilão de imóveis da Caixa Econômica Federal, organizado pela Sato Leilões. Com modalidade presencial e online, são mais de 100 lotes com cerca de 60% de desconto, que estarão disponíveis para arremate até o dia 11 de novembro (sábado), às 10h.

Entre as cidades com itens à venda estão Arujá, com um imóvel, Cotia (4), Guarulhos (16), Itaquaquecetuba (2), Jandira (1), Mogi das Cruzes (3), Osasco (2), Santana de Parnaíba (2), Santo André (7), São Bernardo do Campo (8), São Caetano do Sul (1), São Paulo (58), Taboão da Serra (4), Vargem Grande Paulista (1).

Para quem tem interesse de aproveitar essa oportunidade em adquirir um dos 110 imóveis, é possível ver o edital completo e os detalhes, assim como o estado de ocupação e fotos do local, através do site da empresa leiloeira.

Uma das opções para quem deseja arrematar um novo imóvel ainda nesse ano é o apartamento localizado no Residencial Girassol, na Rua Dolores de Aquino, nº 1.120, em Mogi das Cruzes. O apartamento tem cerca de 50m² e é composto por 2 quartos, área de serviço, banheiro, sala, cozinha e 1 vaga de garagem.

No site da Sato Leilões o valor do lance inicial é de 86.194,56, na comparação de preço sobre a avaliação do imóvel e também com outro imóvel similar a este o item fica 56% mais barato. O lote encontrado em outro site de compra e venda vale R$ 152.000, uma diferença de R$ 65.800, em relação ao lance inicial.

 “Esses tipos de leilões são interessantes pela quantidade e diversidade de imóveis, isso atrai os clientes a pelo menos olharem mais essas oportunidades. Um outro ponto importante é que os itens de leilão muitas vezes eles estão com um custo muito abaixo, o que gera mais interessa para o público que busca investir e mesmo assim, quer economizar”, afirma a Leiloeira Oficial da Sato Leilões, Tatiana Hisa Sato.

Uma novidade para os leilões da Caixa Econômica Federal que estão acontecendo ao longo desse ano é que o pagamento poderá ser feito por financiamento ou FGTS. Os interessados que desejam contar com um dos dois recursos, deverão ler o edital disponível no site da Sato Leilões e dirigir-se às agências da Caixa, em tempo hábil para inteirar-se das condições gerais.

No site da empresa leiloeira, está disponível a lista completa dos itens, assim como os valores para arremate dos bens. Para os interessados na compra, que devem ser maiores de idade, é necessário se cadastrar no site do leiloeiro e realizar o lance pelo link http://www.satoleiloes.com.br/Leilao/1298/leilao-de-imoveis-da-caixa-economica-federal.

Já para quem deseja participar do ato presencial do leilão, deverão comparecer no Novotel São Paulo Jaraguá Conventions, localizado na rua Martins Fontes, 71 – Bela Vista – São Paulo, no dia 11 de novembro, às 10h.

 

Longevidade no Brasil

Envelhecimento saudável em evidência

 

Medo de envelhecer?

Pesquisa revela como idosos encaram o avanço da idade

 

Levantamento realizado em 10 capitais, com homens e mulheres acima de 55 anos, mostra que 63% deles pensam no assunto e mais da metade não se sentem velhos

 

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa média de vida do brasileiro é de 77 anos. De 1940 a 2020 a expectativa média de vida terá aumentado em 167%. Isso porque, seguindo a tendência mundial de redução das taxas de natalidade e número de óbitos, a idade média do brasileiro passou de 45,5 anos, em 1940, para 78 anos, em 2020 (IBGE).

 

Fomentada pelo desenvolvimento econômico e por avanços tecnológicos, tanto na medicina quanto no saneamento básico, essa transição demográfica aumentou a expectativa de vida da população e vem redefinindo o significado de “terceira idade”. Mais ativos do que nunca, homens e mulheres com mais de 55 anos não só vivem mais, como vivem melhor. É o que aponta a pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) – São Paulo, em parceria com a Bayer.

 

De acordo com o estudo, o envelhecimento está na pauta do público acima dos 55 anos – 63% deles pensa a respeito disso.  E, quando questionados sobre como se sentem em relação ao passar dos anos, 32% afirmam estar bem com a situação. A velhice assusta apenas 14% dos entrevistados. Outro dado interessante trata da percepção que esse público tem de si mesmo, mais da metade (54%) não se sente velho. Quando o assunto é expectativa para o futuro, curtir a família e os netos (27%) foi a resposta mais citada.

 

“Ainda é comum os olhos da sociedade se voltarem para a velhice com preconceitos e rótulos que não representam mais esta parcela de nossa população. Mesmo que o envelhecimento faça parte de um processo natural do ser humano, que tem início desde o nascimento, ele ainda é acompanhado por estigmas que precisam ser quebrados”, afirma a Dra.Maisa Kairalla, Presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia - São Paulo.

 

Economicamente ativos e socialmente engajados, esse público anseia por um envelhecimento mais saudável e melhor qualidade de vida. Para isso, visitam o médico (24%), se alimentam de maneira adequada (23%) e praticam exercícios regularmente (17%).As boas práticas não se limitam ao plano físico, a saúde mental também é observada: 76% dos entrevistados leem ou praticam alguma atividade que desafie o cérebro. Além disso, 64% frequentam eventos sociais semanalmente. Apesar de 62% ter alguma doença crônica e 65% fazer uso de medicamentos, 64% se consideram saudáveis.

 

Algumas questões, no entanto, afligem os mais maduros. A solidão (29%) é a principal delas, seguida da incapacidade de enxergar ou se locomover (21%) e do desenvolvimento de doenças graves (18%).“Levando em consideração que a população idosa brasileira triplicará até 2050, chegando a mais de 66 milhões de pessoas, segundo o IBGE, é fundamental ter atenção quando o assunto é o envelhecimento ativo e saudável. O idoso precisa ser autônomo, independente e praticar atividades que tragam propósito ao seu dia-a-dia”, finaliza a Dra. Maisa.

 

A pesquisa foi realizada em 10 capitais brasileiras (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Brasília, Goiânia, Salvador, Recife e Belém), com dois mil homens e mulheres, na faixa etária acima dos 55 anos.

 

Envelhecimento ativo e saudável

 

Tal mudança na estrutura populacional do país, além de ser causada pelos novos hábitos comportamentais, é proporcionada pela prevenção de doenças crônicas como a obesidade, hipertensão e diabetes. Além disso, avanços da medicina em relação ao controle da saúde por meio de drogas mais efetivas e procedimentos inovadores, possibilitam manter a qualidade de vida nesta faixa etária.

 

As atividades mais frequentemente citadas para alcançar o envelhecimento saudável foram:

•             Visita ao médico com frequência:

- 37% uma vez por ano e 51% mais de uma vez por ano.

•             Prática semanal de exercícios físicos:

- 38% uma a duas vezes, 22% três a quatro vezes e 12% mais que quatro vezes.

- 36% tem matrícula em academia.

•             Alimentação saudável:

- 68% dos entrevistados se alimenta de maneira saudável

 

“A pessoa que ao longo de seu curso de vida toma medidas para prevenir doenças crônicas terá sem dúvida um melhor envelhecer. Terá acumulado o capital de saúde tão importante para a qualidade de vida na medida em que envelhecemos. Quanto mais cedo começar a tomá-las, melhor - mas nunca é tarde demais. No entanto,  o processo de envelhecimento muitas vezes é acompanhado de enfermidades. Diferentemente do que acontecia há 20, 30 anos, métodos de diagnóstico precoce e tratamentos adequados fazem então toda diferença. Um diagnóstico de diabetes não é mais sinônimo de cegueira ou de insuficiência renal - desde que as intervenções sejam disponibilizadas a este paciente a tempo, com a segurança que o conhecimento médico hoje permite”, comenta o Presidente do Centro Internacional da Longevidade Brasil, Alexandre Kalache.

 

Em um passado não muito distante, chegar à terceira idade era motivo de preocupação para muitas pessoas, mas essa perspectiva tem mudado positivamente e, chegar à maturidade aos 50, 60, 70, 80 anos ou mais, tem sido uma prova de que a terceira idade tornou-se o começo de um novo ciclo cheio de descobertas e aprendizado.

 

Bayer: Ciência para uma vida melhor

A Bayer é uma empresa global focada em Ciências da Vida nas áreas de cuidados com a saúde humana e animal e agricultura. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para beneficiar as pessoas e melhorar sua qualidade de vida. Além disso, a companhia objetiva criar valor por meio da inovação. A Bayer é comprometida com os princípios do desenvolvimento sustentável e com suas responsabilidades sociais e éticas como uma empresa cidadã. Em 2015, o grupo empregou cerca de 117 mil pessoas e obteve vendas de € 46.3 bilhões. Os investimentos totalizaram € 2.6 bilhões e as despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 4.3 bilhões. Esses números incluem os negócios de polímeros de alta tecnologia, que foram lançados no mercado de ações como companhia independente nomeada Covestro, em 06 de outubro de 2015. Para mais informações, acesse www.bayer.com

Medicina ABC abre curso de especialização

em Oncologia Pediátrica Multiprofissional

 

Início será em fevereiro de 2018 e inscrições vão até dezembro

 

A Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) está com inscrições abertas para o curso de pós-graduação lato sensu em Oncologia Pediátrica Multiprofissional, com início para fevereiro de 2018. Destinado a profissionais graduados em Farmácia, Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição, Psicologia, Odontologia e Fonoaudiologia, o objetivo do curso é capacitar os profissionais para a atuação em ambientes hospitalar e ambulatorial focados na assistência à criança com câncer. São oferecidas 20 vagas e as inscrições vão até 15 de dezembro.

 

Com duração prevista de 11 meses, o curso tem carga de 360 horas e é voltado ao tratamento oncológico pediátrico com visão multidisciplinar. Possibilita aos alunos realização de estágio curricular supervisionado no Ambulatório de Especialidades da FMABC e visitas técnicas. As aulas serão as quintas e sextas-feiras, das 19h às 22h, e sábado das 8h às 18h, apenas uma vez por mês.

 

Uma nova abordagem do tema, mais humanizada e multidisciplinar, procura acima de tudo melhorar a qualidade de vida dos pacientes. Adotada em algumas instituições de saúde no Brasil, ela desponta como forte tendência na área de oncologia em todo o mundo.

 

“Trata-se de um novo jeito de olhar o paciente, que vai muito além da preocupação com a doença. O foco é o indivíduo, seu bem-estar físico, psicológico, emocional e espiritual. Para que isso aconteça, vários especialistas – oncologista, enfermeiro, farmacêutico, dentista, fisioterapeuta, psicólogo, nutricionista, entre outros – trabalham de modo integrado para suprir as diferentes necessidades do paciente com câncer. Assim, o aluno poderá realizar uma intervenção planejada e em conjunto com os demais profissionais de saúde”, explica Dra. Fernanda Schindler, que coordena o curso junto com o Dr. Fernando Luiz Affonso Fonseca.

 

Entre as disciplinas que compõem a grade curricular estão Medicina Genômica, Modalidades Terapêuticas para o Tratamento ao Câncer Pediátrico, Principais Patologias e Protocolos de Tratamento, Cuidados Paliativos e Emergências Oncológicas, além de visitas técnicas e acompanhamento prático junto aos profissionais da área (estágio curricular).

 

O campus universitário da FMABC fica na Av. Lauro Gomes, 2.000, Vila Sacadura Cabral, em Santo André. Informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4993-5426 ou pelo e-mail posgraduacao@fmabc.br.

Contos dos Amigos

Lançamento do livro dia (11/11)

Maria Madalena Dornelas Borges

 

Apresentação

Objetivo propiciar ao professor e ao estudante um auxílio no processo de ensino--aprendizagem da Língua Portuguesa. É através da linguagem que se realiza todo tipo de comunicação verbal (informal e formal). É nos processos de comunicação verbal que se desenvolvem as quatro habilidades básicas e da aquisição linguística: escutar, falar, ler e escrever, as quais permitem a interação social e a comunicação entre os seres humanos.

Não se pode compreender a linguagem sem considerar seu elo com a situação concreta de produção. É na essência do funcionamento da linguagem que se chega à compreensão dele próprio. É praticando linguagem que se aprende a linguagem.  Produzir linguagem significa instigar no aluno a vontade de falar, expor suas ideias, pensamentos, desejos e sonhos.

Esta produção de linguagem verbal dentro da sala de aula não pode ser aleatória, deve ser constituída a partir de conjuntos de fatores (recursos) que possam ser coerentes e coesos com a proposta da linguagem e suas habilidades de competência: escutar, falar, ler e escrever.

Este livro tem o intuito de abrandar e proporcionar habilidades leitoras aos alunos com deficiências e dificuldade de aprendizagem. A concepção do livro foi baseada na proposta de Alfabetização “Desafios do Aprender”, de Claudia Mara Silva, tendo como base o Método Fônico e Método Sodré de Alfabetização.

Os textos e alguns desenhos foram produzidos e  criados pelos alunos com deficiência, alunos esses da autora do livro. O livro apresenta linguagem simples, acessível e visual, interligando textos com interpretações escritas e produção verbal e não verbal.

 

 

O lançamento do livro vai ser no dia 11/11/17, às 10 horas.

Local: Biblioteca Municipal  Paul Harris de São Caetano do Sul – SP

 

livro.jpg

Prefeitura de São Caetano oferece transporte gratuito entre unidades de Saúde

 

Em São Caetano do Sul, quem precisa ir a qualquer unidade da rede municipal de saúde pode contar com um transporte exclusivo para esse fim: o Circular Saúde. O serviço, realizado por vans, é oferecido gratuitamente pela Prefeitura, através da Secretaria de Saúde, de segunda a sexta, das 6h30 às 16h.

 

A linha liga o Hospital Municipal Maria Braido a todas as UBSs e também a centros de tratamento especializado, como a USCA (Unidade de Saúde da Criança e do Adolescente) e o CAISM (Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher) e aos CISEs (Centros Integrado de Saúde e Educação da Terceira Idade). São duas vans com capacidade para 13 pessoas cada, que se alternam no itinerário (enquanto uma faz o percurso de ida, a outra volta).  

 

Além dessas duas vans circulando pelas unidades de saúde da cidade, a Prefeitura também oferece um micro-ônibus, com capacidade para 20 pessoas, que leva pacientes ao Hospital Estadual Mário Covas, em Santo André. Também de segunda a sexta, ele parte às 7h da manhã do Hospital Maria Braido e circula de hora em hora até às 16h.

 

Para utilizar esses serviços, basta aguardar em uma das paradas do Circular Saúde. Cada paciente pode levar um acompanhante. Segundo Gilson Santos, coordenador de Transporte da Secretaria, os circulares – tanto o municipal quanto o intermunicipal – recebem cerca de 900 pessoas cada um, em média, mensalmente.

 

Há ainda um terceiro serviço de transporte específico para levar e buscar pacientes ao Hospital Dia do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), localizado à Rua dos Castores, 60, Bairro Mauá. Esse serviço conta com uma lista de passageiros pré-definida (os pacientes que fazem tratamento no Hospital Dia), mas pode incluir outros passageiros se houver lugar, mediante agendamento com dois dias de antecedência.

 

Circular Saúde Itinerário A

Hospital de Emergências  (Barcelona) - 6h30, 8h20, 10h20, 13h00, 15h10

UBS Maria Corbeta Segato (Prosperidade) – 6h35, 8h30, 10h35, 13h15, 15h20

CEM Samuel Klein/Laboratório de Análises Clínicas (Fundação) -  6h40, 8h43, 10h40, 13h27, 15h30

CAISM – Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Fundação) -6h45, 8h40, 10h43, 13h25, 15h32

CAPS II-AD Jordano Pedro S. Vicenzi/ UCSC – Fisioterapia (centro) – 6h50, 8h47, 10h45, 13h35, 15h35

Centro de Saúde Manoel Augusto Pirajá da Silva (centro) – 6h55, 8h52, 10h48, 13h40, 15h40

Hospital São Caetano (Santo Antônio) – 6h59, 8h56, 13h44, 15h43

USCA - Unidade de Saúde da Criança e do Adolescente (centro) – 7h, 8h58, 13h45, 15h45

UBS João Luiz Pasqual Bonaparte (Santa Paula) – 7h02, 8h59, 13h47, 15h47

CISE Dr. Moacyr Rodrigues (Santa Paula) – 7h03, 9h02, 13h48, 15h48

AMARE – Ambulatório de Alta Resolutividade (Santa Paula) – 7h06, 9h04, 13h49, 15h49

Hospital Municipal Maria Braido/ Hospital Infantil e Maternidade Márcia Braido (Olímpico) – 7h09, 9h06, 13h50, 15h50

Centro de Triagem Neonatal/Oftalmológico e Oncológico (Oswaldo Cruz) – 7h10, 9h10, 13h55, 15h55

UBS Catarina Dall´Anese (Olímpico) – 7h12, 9h14, 14h, 16h05

UBS Nair Spina Benedicts (Oswaldo Cruz) – 7h15, 9h18, 14h05, 16h10

UBS Moacyr Gallina (Cerâmica) – 7h20, 9h22, 14h08, 16h12

UBS Dolores Massei (São José) – 7h23, 9h26, 14h12, 16h15

CISE João Nicolau Braido (São José) – 7h25, 9h28, 14h14, 16h17

CAPS I – DM – Dr Ruy Penteado (Mauá) – 7h30, 9h32, 14h26, 16h30

UBS Darcy Vargas (Mauá) – 7h45, 9h45, 14h35, 16h35

Centro Policlínico Gentil Rstom (Nova Gerty) – 7h50, 9h50, 14h40, 16h45

Centro Odontológico Maria Domingas R. Torres (Nova Gerty) – 7h55, 9h55, 14h45, 16h47

CISE Francisco Coriolano de Souza (Nova Gerty) – 7h57, 9h57, 14h47, 16h49

UBS Angelo Antenor Zambom (Boa Vista) – 8h, 10h, 14h48, 16h50

CISE João Castaldeli (Olímpico) – 8h02, 10h02, 14h50

Farmácia USCS (Santa Maria) – 8h05, 10h05, 14h55

UBS Amélia Richard Locatelli (Santa Maria) – 8h10, 10h10, 15h

UBS Ivanhoé Espósito  (Barcelona) – 8h15, 10h15, 13h10, 15h05

 

Circular Saúde Itinerário B

UBS Maria Corbeta Segato (Prosperidade) – 6h30, 8h30, 10h30, 13h, 15h10

Hospital de Emergências (Barcelona) -  6h38, 8h35, 10h35, 13h05, 15h20

UBS Ivanhoé Espósito (Barcelona) – 6h43, 8h40, 10h40, 13h10, 15h30

UBS Amélia Richard Locatelli (Santa Maria) – 6h47, 8h45, 13h25, 15h36

Farmácia USCS (Santa Maria) – 6h52, 8h50, 13h28, 15h40

CISE João Castaldeli (Olímpico) – 6h54, 8h52, 13h30, 15h42

UBS Angelo Antenor Zambom (Boa Vista) – 6h56, 8h54, 13h35, 15h45

CISE Francisco Coriolano de Souza (Nova Gerty) – 7h, 8h57, 13h40, 15h50

Centro Odontológico Maria Domingas Torres (Nova Gerty) – 7h03, 9h, 13h43, 15h55

Centro Policlínico Gentil Rstom (Nova Gerty) – 7h05, 9h03, 13h45, 15h57

CAPS I – DM – Dr Ruy Penteado (Mauá) – 7h10, 9h10, 13h55, 16h03

UBS Darcy Vargas (Mauá) – 7h15, 9h15, 14h, 16h10

CISE João Nicolau Braido (São José) – 7h20, 9h20, 14h05, 16h13

UBS Dolores Massei (São José) – 7h22, 9h25, 14h10, 16h15

UBS Moacyr Gallina (Cerâmica) – 7h25, 9h30, 14h15, 16h18

UBS Nair Spina Benedicts (Oswaldo Cruz) – 7h30, 9h35, 14h20, 16h22

UBS Catarina Dall´Anese (Olímpico) – 7h34, 9h40, 14h25, 16h25

Centro de Triagem Neonatal/Oftalmológico e Oncológico (Oswaldo Cruz) – 7h36, 9h43, 10h47, 14h30, 16h30

Hospital Municipal Maria Braido / Hospital Infantil e Maternidade Márcia Braido (Olímpico) – 7h40, 9h45, 10h45, 14h32, 16h32

AMARE – Ambulatório de Alta Resolutividade (Santa Paula) – 7h41, 9h46, 10h48, 14h33, 16h34

CISE Dr. Moacyr Rodrigues (Santa Paula) – 7h43, 9h47, 10h49, 14h34, 16h35

UBS João Luiz Pasqual Bonaparte (Santa Paula) – 7h45, 9h48, 10h50, 14h35, 16h36

USCA - Unidade de Saúde da Criança e do Adolescente (centro) – 7h50, 9h50, 10h53, 14h38, 16h38

Hospital São Caetano (Santo Antônio) – 7h52, 9h51, 10h54, 14h39, 16h39

Centro de Saúde Manoel Augusto Pirajá da Silva (centro) – 8h, 9h55, 11h, 14h45, 16h45

CAPS II-AD Jordano Pedro S. Vicenzi USCS /Fisioterapia (centro) – 8h05, 10h, 14h50

CAISM – Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (Fundação) -  8h10, 10h05, 14h58

CEM Samuel Klein/Laboratório de Análises Clínicas (Fundação) – 8h13, 10h08, 15h

MAIS DE 60 ANOS DE HISTÓRIA

 

 

LEITURA ONLINE

 

Confira todas as edições do Jornal de S. Caetano na íntegra! 

PUBLICIDADE

 

Confira nossa tabela de preços e reserve seu anúncio!

 

FALE CONOSCO!