São Caetano do Sul lança Nossa Nota e consumidor concorre a prêmios em dinheiro

Agora, quem pedir nota fiscal de serviços em São Caetano do Sul concorrerá a prêmios de até R$ 30.000 pela Loteria Federal. A Prefeitura vai sortear R$ 240.000 por ano. O programa de educação fiscal visa a inibir a sonegação e incrementar a receita do município, conforme a lei nº 5.560, de novembro de 2017.

 

O programa Nossa Nota foi lançado nesta segunda-feira (11/12), no Paço Municipal, e já está disponível para a população. “A Prefeitura fez sua parte com o contingenciamento interno, mas também precisamos aumentar as receitas com medidas justas e eficientes. Não aumentamos impostos, mas temos de trazer aqueles que estão em situação de sonegação para o eixo de arrecadação”, afirma o prefeito José Auricchio Júnior.

 

A previsão da Secretaria Municipal da Fazenda é que, em um ano, o programa possa reverter para os cofres públicos cerca de R$ 7,5 milhões, que seriam perdidos com sonegação. O valor vem do ISSQN (Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza). A cidade tem aproximadamente 22.000 prestadores de serviços.

“Temos adotados um ajuste administrativo para que São Caetano do Sul volte logo ao cenário de investimentos”, diz o secretário da Fazenda, Jefferson Cirne da Costa.

COMO FUNCIONA

Para participar, basta o consumidor se cadastrar no site www.saocaetanodosul.sp.gov.br/nossanota e, depois, pedir para colocar seu CPF em notas fiscais de serviços. Entre os estabelecimentos que fornecem a Nossa Nota estão academia, salão de beleza, pet shop, clínica odontológica, clínica médica, clínica de exames, mecânica, estacionamento, escola particular, hotel e lavanderia, entre outros.

A cada R$ 100, será gerado automaticamente um cupom eletrônico, com o qual o consumidor concorrerá pela Loteria Federal. Os sorteios serão trimestrais (nos meses de março, junho, setembro e dezembro). Cada sorteio dará um primeiro prêmio no valor de R$ 30.000 e dez prêmios de R$ 3.000.

                                   

Infectologista do Hospital 9 de Julho explica as causas da hepatite A

Especialista ressalta que hábitos simples de higiene como lavar os alimentos adequadamente e só beber água tratada, podem evitar o contágio da doença; há vacina para a doença

 

 Náuseas, dor abdominal, cansaço, pele e olhos amarelados. Estes podem ser sintomas da hepatite A, doença com registro de aumento de casos no Brasil*. Segundo a Dra. Sumire Sakabe, infectologista do Hospital 9 de Julho, a Hepatite A pode ser prevenida através de bons hábitos de higiene, lavando as mão antes do preparo e ingesta de alimentos, lavando os alimentos antes do consumo, bebendo água tratada e também observando cuidados durante as relações sexuais, em especial nas relações anais.

A Hepatite A é uma inflamação no fígado causada pelo vírus VHA. A Dra. Sumire explica que o contágio se dá pela via oral-fecal, ou seja, contato com fezes infectadas pelo vírus que de alguma forma chegam até a boca. “Muitas pessoas podem contrair a doença dessa forma por não lavar as mãos adequadamente depois do contato com as fezes e manusear alimentos ou líquidos que serão ingeridos posteriormente”, exemplifica a médica.

Alguns pacientes infectados podem não apresentar sintomas e sequer percebem que tiveram a doença. Outras pessoas podem se queixar de cansaço, enjoos, vômitos, falta de apetite, urina escura, peles e olhos amarelados (icterícia).

Com o aumento do número de casos no país, é importante saber como se proteger do vírus causador, principalmente por ser uma doença contagiosa. Por isso, listamos algumas formas de evitar o contágio. Confira!

Cuidados com a alimentação - muitas vezes o vírus está em alimentos mal lavados. Por isso, é importante lavar as mãos com água e sabão, especialmente ao manusear os alimentos, antes e depois das refeições. E lavar bem todos os alimentos que serão consumidos crus.

Tratamento da água - em regiões mais simples onde não há saneamento básico, a água pode estar contaminada. Nestes casos, é importante fervê-la antes de beber ou procurar por água tratada.

Sexo seguro – segundo a Dra. Sumire, o sexo oral e o anal estão entre os potenciais focos de transmissão de Hepatite A. “Para evitar a doença é possível fazer uma barreira com a camisinha adaptada (dental dam) e lavar com água e sabão as mãos e a região anal e genital antes e depois do sexo”, explica a especialista.

A Dra. Sumire reforça que, para se prevenir, é importante observar hábitos simples de higiene “costumes comuns como lavar as mãos regularmente, não consumir alimentos de origem desconhecida e beber água tratada, diminuem os riscos de contágio” explica a médica que também reforça a vacina como um dos tratamentos para evitar a Hepatite A.   

 

Fonte: https://pebmed.com.br/oms-alerta-para-surto-de-hepatite-a-por-transmissao-sexual-no-brasil/

 

 

 

 

Premiado nos EUA, ex-aluno de São Caetano do Sul volta para aplicar seu projeto nas escolas municipais

 

O “Scopabits”, kit de eletrônica de baixo custo, foi desenvolvido por ex-aluno da rede municipal de ensino e distribuído para as escolas da rede

 

No último dia 8 de dezembro, às 19h30, o Cecape (Centro de Capacitação de Profissionais da Educação Dra. Zilda Arns) recebeu o Scopabits Fest, evento de encerramento do Projeto Scopabits, que utiliza kits de eletrônica básica para o desenvolvimento de projetos interdisciplinares. Participaram do evento, que também marcou o final do ano letivo, cerca de 500 pessoas, entre professores e alunos, acompanhados de pais e familiares.

 

As 20 escolas de Ensino Fundamental de São Caetano do Sul apresentaram seus projetos. Cada escola foi representada por uma equipe de seis alunos que teve 30 minutos para montar, com as peças do kit, um “insetão” capaz de se locomover.  Surgiram muitas joaninhas e abelhas eletrônicas, com diferentes estruturas e formas de locomoção, conforme a criatividade da criançada.

 

PROJETO DE EX-ALUNO

O Scopabits é um kit de eletrônica de baixo custo, elaborado para a produção de projetos por meio da criação de circuitos com componentes presentes no cotidiano, como motor, LED e interruptor, dentre outros. Ele foi desenvolvido por Victor Scopacasa – juntamente com Érica Sayuri Scopacasa e Nara Schenkel – e, selecionado, em março de 2017, para receber o Creative Learning Fellowship, uma bolsa oferecida pelo Desafio Aprendizagem Criativa Brasil, promovido pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts, EUA) e Fundação Lemann.

 

Ex-aluno de escolas de São Caetano do Sul, do Fundamental ao Médio, Victor Scopacasa também trabalhou na rede de ensino. “Fui Auxiliar da Primeira Infância na EMEF Leandro Klein”, conta, orgulhoso.  Hoje, formado em Design, Victor trabalha em uma empresa de desenvolvimento de projetos de aprendizagem criativa. E quando recebeu o financiamento para desenvolver seus kits e oferecê-los, gratuitamente, a uma rede pública de ensino, não pensou duas vezes: escolheu São Caetano do Sul.

 

ESTÍMULO À CIÊNCIA E À CRIATIVIDADE

 

As escolas desenvolveram os mais variados projetos envolvendo conceitos de física mecânica e elétrica, além de outros campos do conhecimento. “Por se tratar de uma proposta baseada no trabalho com projetos, o Kit Scopabits fomenta o desenvolvimento das habilidades cognitivas e das habilidades socioemocionais, por meio do trabalho em equipe”, explica Meire Bacci Candido, educadora do Cecape e coordenadora do projeto junto às escolas.

Na abertura do evento, Paulo Sérgio Garcia, diretor do Cecape, destacou a importância de se estimular o interesse das crianças pela Ciência. “O Brasil precisa de cientistas. Precisamos de pessoas que construam conhecimento”, afirmou. Luiz Antônio Cruz, diretor do Centro Digital, destacou que a realização do projeto foi possível graças à capacitação prévia dos professores. E a Secretária de Educação, Janice Paulino César, enfatizou que, ao associar recursos tecnológicos com recursos tradicionais usados na Pedagogia (como papel e material de reciclagem), o projeto estimula a integração dos saberes e a criatividade. Segundo a Secretária, esse foi o primeiro de uma série de projetos com o kit: “Pretendemos continuar em 2018 com novas turmas”.


 

Prefeitura de São Caetano do Sul entrega subsídios a entidades de Cultura

 

Atendendo aos preceitos da Lei 13.019/2014, o Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil, no dia 6 de dezembro, quarta-feira, houve a cerimônia de entrega de subvenções a entidades são-caetanenses do terceiro setor que exercem atividades no âmbito cultural.

 

A Chefe de Gabinete da Prefeitura, Marisa Catalão, representou o Prefeito José Auricchio Júnior na solenidade de entrega dos cheques às entidades. O ato ocorreu no Gabinete da Prefeitura, no Palácio da Cerâmica.

 

O Marco Civil Regulatório estabelece o regime jurídico de parcerias entre a administração pública e as organizações da sociedade civil. A Lei define as diretrizes para a política de fomento, de colaboração e de cooperação com organizações da sociedade civil.

 

Foram contemplados o Grupo Escoteiro João Ramalho, a Escola Municipal de Bailado Laura Thomé, a Academia de Letras da Grande São Paulo, a Associação São Francisco de Assis (Grupo Escoteiro São Francisco de Assis), o Grupo de Escoteiros de São Caetano do Sul e o Grupo de Escoteiros Alvorada.

 

“Neste ano tivemos a difícil missão, no primeiro ano de vigência da Lei para os municípios, de entregar a subvenção às entidades. Conseguimos entregá-las graças ao apoio da Secretaria da Fazenda, do Departamento Jurídico. E, assim, hoje damos mais um passo, o das parcerias com o terceiro setor”, declara João Manoel da Costa Neto, Secretário Municipal da Cultura.

 

Em seu discurso, Costa Neto dirige-se às instituições presentes: “É nosso primeiro ano de parceria com vocês, que são entidades de utilidade pública, que colaboram com a construção da política cultural do município. Nossa expectativa é que vocês possam aproveitar, da melhor forma, o recurso que é hoje repassado”.

 

O Secretário da Cultura salienta a importância da prestação de contas por parte das instituições contempladas com a subvenção, condição sine qua non para repasses subsequentes, a partir de 2018: “Para que no próximo ano, considerando as lições que aprendemos neste 2017, possamos mais cedo entregar as subvenções para vocês terem um melhor aproveitamento”.

 

Marisa Catalão, em seu discurso às instituições presentes, também ressaltou a importância da prestação de contas por parte das entidades atendidas com o repasse: “Vocês estão recebendo o dinheiro e terão até o final de janeiro para prestar contas. Do contrário, terão que devolvê-lo. Estando tudo de acordo com o que a Lei determina, vocês já estarão aptos a receber a subvenção do próximo ano. Depende de vocês, entidades, fazer o plano de trabalho de acordo com a nova Lei. Assim, poderão continuar recebendo os repasses.”

.

 

 

MAIS DE 60 ANOS DE HISTÓRIA

 

 

LEITURA ONLINE

 

Confira todas as edições do Jornal de S. Caetano na íntegra! 

PUBLICIDADE

 

Confira nossa tabela de preços e reserve seu anúncio!

 

FALE CONOSCO!